11 3107-7460
3.9

Monte Kilimanjaro (Rota Coca-Cola) - 7 dias / 6 noites

Imagem

Atrativos: Subir o Monte Kilimanjaro

Saídas: Diárias.

*Importante: saídas do programa com mínimo de 2 passageiros.

 

O Monte Kilimanjaro é o ponto mais alto da África, com seus 5896 metros e um dos vulcões mais altos do mundo, por isso atrai entusiastas de trekking e escalada de todos os cantos do mundo. A atração é ainda maior, considerando que, com pouco tempo e preparação adequada, é possível subir ao topo sem ter uma equipe de montanhismo muito técnica ou experiente.

O maciço de Kilimanjaro tem dois picos principais: Kibo e Mawenzi. Embora o Monte Kilimanjaro esteja a apenas 3 graus ao sul do Equador, Kibo e Mawenzi têm neves perpétuas.

O ponto mais alto de Kibo e em todo o maciço de Kilimanjaro é o Pico Uhuru. Também em Kibo, podemos encontrar o pico ligeiramente mais baixo de Gillman, ambos são ótimos objetivos para a maioria dos alpinistas. Os picos de Mawenzi são apenas para os alpinistas mais experientes. A Rota Coca-Cola ou Rota Marangu é a rota de subida mais popular para a montanha. É também a com o melhor caminho definido, onde os obstáculos foram modificados para tornar a subida mais agradável.

Inclui:

- Traslado Regular Arusha-Moshi-Arusha (uso não exclusivo do veículo);

- Todos os serviços oferecidos são em inglês (traslados, motorista e guias);

- 02 noites em Moshi no Park View Inn em meia pensão (antes / depois da subida);

- 05 dias / 04 noites de subida na Rota Marangu do Monte Kilimanjaro;

-  Taxas governamentais;

- Alojamento de acordo com o itinerário detalhado;

- Serviços de um guia de montanha, cozinheiro e carregadores adequados para transportar os suprimentos necessários de viagem e malas particulares;

- Taxas de entrada no Parque Nacional, taxa de hospedagem e camping;

- Todo o equipamento de comida e catering - café da manhã, almoço (piquenique quando necessário) e jantares preparados pelos chefs;

- Certificado de conclusão;

- Armazenamento gratuito de excesso de bagagem que não for necessário para escalar montanhas;

- Caderno personalizado com Porta Voucher;

- Seguro de Viagem;

- Assistência para Embarque no Aeroporto de Guarulhos (cortesia, caso inclua a parte aérea no pacote).

 

Não Inclui:

- Passagens aéreas internacionais e taxas aeroportuárias;

- Alojamento e refeições em Arusha e / ou Nairobi;

- Taxas de visto, passaportes, vacinas, medicamentos, equipamentos de montanha;

- Refeições não mencionadas;

- Despesas com água mineral;

- Bebidas não mencionadas;

- Excursões opcionais não detalhadas no itinerário;

- Noites adicionais no hotel base ou nas montanhas;

- Custos extras causados por mudanças intencionais ao longo do caminho;

- Gorjetas;

- Despesas de caráter pessoal;

- Excesso de bagagem;

- Serviços não mencionados no pacote;

- Taxas e impostos (IRRF) para transações nacionais e internacionais.

Roteiro

Dias

1° Dia - Arusha Moshi / Marangu (Hotel-Base)

Às 14:00, iremos buscá-lo em seu hotel em Arusha (o hotel é por conta do passageiro, não está incluído no valor, consulte-nos para o adicional) traslado para a área de Moshi / Marangu, a base para a subida. Jantar e pernoite no Park View Inn (hotel base).

2° Dia - Hotel-Base Cabana Mandara (1.800m a 2.700m)

 (Caminhada de 9 km. Em 4 horas, suba 900 m)

Café da manhã e traslado até para a porta do Parque Nacional Kilimanjaro em Marangu, uma subida de 400 m, para fazer o registro. A caminhada de Marangu a Mandara leva de 3 a 4 horas, ao longo de estradas pré-estabelecidas pela floresta.

Existem duas rotas possíveis, ambas seguem o mesmo rio, mas em margens diferentes. A princípio, a estrada é larga e não muito íngreme, cercada por grandes árvores de cada lado. Mais acima, na floresta tropical, é mais acidentado e lamacento e é bloqueado pelas raízes das árvores que dificultam a escalada quando são inundadas. Finalmente, a estrada sai da floresta e em breve você chegará a uma clareira onde fica a cabana de Mandara, onde passaremos a primeira noite.

A subida inicial é quente e ensolarada, mas após uma hora pode estar nublada e nebulosa. Após o piquenique (composto por sanduíches, ovos cozidos e frutas) na cabana, há uma vista opcional da Cratera Maundi, a 1,5 km da cabana. Onde podemos encontrar flores incomuns. Existem também alguns macacos e pássaros.

Refeições e hospedagem na cabana de Mandara (2700m ou 9000 pés)

Este acampamento, localizado a uma altitude de 2700 m acima do nível do mar, possui uma grande sala usada principalmente como sala de jantar comum e várias salas pequenas com 4 plataformas com colchões. Recomenda-se que todos carreguem seu próprio tapete para vestir, porque os colchões podem estar molhados devido à alta umidade. Há uma pia com água fria, dois tanques com lâmpadas úteis mesmo durante o dia. O jantar é servido por volta das 17h30min, porque escurece muito cedo e a cabana não tem eletricidade, exceto alguns painéis solares. O jantar consiste em sopa, carne ou peixe com legumes, frutas e chá, café.

Vestuário + outras informações:

Tênis, bermuda, calça, camiseta e, se for uma blusa ou jaqueta turva. Também é necessário trazer protetor solar e água potável.

 

3° Dia Cabana Mandara Cabana Horombo (2.700m a 3.820m)

(Caminhada de 14 km em 4,5 horas e uma subida de 1020 m)

Acordamos entre as 06h30 e as 07h00para tomar o café da manhã, que consiste em chá / café, ovos, salsichas, torradas e frutas (abacaxi). Após o café da manhã, deixaremos a selva, atravessaremos um prado e depois outro caminho da selva, emergiremos em um prado e atravessaremos numerosos desfiladeiros antes de terminar na cabana de Horombo. A subida de Mandara a Horombo custa de 5 a 7 horas. O almoço, servido como piquenique, consiste em ovos cozidos, um sanduíche e uma fruta.

Como no primeiro dia, existem várias possibilidades de rota. Desta vez, a estrada principal começa a subir a pé pela selva e está, mais uma vez, molhada e evitando muitas raízes das árvores ao longo do caminho. Depois de quase 2 Km. Entramos na terra de urze e arbustos, alguns arbustos, árvores e algumas flores, enquanto ervas daninhas e trepadeiras gigantes chamadas Senecios se erguem no alto. Nesta fase, a estrada não está completamente definida, por isso é muito fácil sair da rota principal.

O tempo pode estar ensolarado de manhã, mas úmido e nebuloso à tarde, dando pouca visibilidade ao longo do percurso. Também encontraremos uma cratera vulcânica de 200 metros de altura chamada Kifinika. Depois de atravessar algumas ravinas e falésias, chegamos à cabana de Horombo, onde passamos a noite.

Jantar e noite na cabana do Horombo (3720 m ou 12.000 pés)

Esta cabana, construída ao lado de um riacho em uma colina de 3720m acima do nível do mar, é semelhante a Mandara. Mais uma vez haverá uma cabana grande e várias pequenas, mas muitas menores porque os alpinistas que descem também dormem nelas. A área é bastante exposta e há mais coisas para ver e fazer. O único lugar para lavar é o riacho. Existem dois banheiros com cisterna e duas latrinas no chão, a 100 metros da encosta. É possível obter boas vistas de Kibo e Mawenzi nesta parte da encosta. O vale do riacho contém pequenos grupos de senecios e cachos de flores permanentes. Após a chegada da cabana, será servido chá / café. Como em Mandara, o jantar consistirá de carne e espaguete com legumes, será servido por volta das 17h30 / 18/00 horas.

 

Vestuário + outras informações:

Tênis, bermuda (somente se estiver ensolarado), calça de alpinista, camiseta e se houver uma blusa e / ou jaqueta extras nubladas. Também é necessário trazer creme protetor e água potável.

Temperaturas:

 Pode estar em torno de 12 a 14 graus Celsius e pode chegar a 5 graus durante a noite.

 

4° Dia Cabana Horombo Cabana Kibo (3.820m a 4.850m)

(Caminhada de 13 km em 5 horas e uma subida de 1030 m)

Café da manhã padrão (como no dia anterior) a ser servido por volta das 07h00. Após o café da manhã, a subida passará por seu último ponto de água, esta seção é como um deserto seco que separa os picos de Mawenzi e Kibo. Continuaremos para a cabana de Kibo (4700m ou 15.000 pés), onde você passará a noite. A subida de Horobonbo a Kibo dura de 5 a 6 horas.

Pode haver neblina no início da estrada e depois ficar nublado pelo resto da subida.

O caminho vai direto para Mawenzi, mas não há água lá. A estrada principal permanece o mais ocidental possível e chega ao ponto mais próximo de Kibo. Atravessa dois ou três córregos e o último é identificado como o último ponto da água. Alguns alpinistas, guias e carregadores param por aí para encher suas garrafas de água. A primeira parte da estrada é seca e poeirenta, ocasionalmente, com caminhos pedregosos. Em cada lado há flores permanentes, arbustos e pequenos grupos de senecianos, mas o único pássaro comumente visto é o bate-papo alpino. A segunda parte é mais suave, mas mais pedregosa, quando você chega à sela (planície), existem muito poucas plantas, embora ocasionalmente um corvo de pescoço branco sobrevoa. A rota passa entre duas colinas vermelhas que têm um interesse geológico particular. A partir deste ponto, você pode ver a cabana de Kibo e parece estar muito perto, mas ainda há cerca de 2,5 km a pé e 300m em subida. .

Jantar e acomodação na cabana de Kibo (4700m / 15.000 pés)

A cabana Kibo, a 4750m acima do nível do mar, é composta por 4 quartos com camas, cada uma contendo uma mesa e beliches para 12 pessoas e outro para apenas 10 pessoas. Há outro prédio antigo usado para guias e carregadores e dois banhos no solo a curta distância. As cabanas são construídas em pedra, ao contrário de Mandara e Horombo, que são de madeira.

Dentro das cabanas, está molhado e frio. Nos dois campos, o rádio dos guardas está sempre conectado à sede, porque é alimentado por um grupo de painéis solares em um poste. O sol brilha durante o dia e pode ser agradável esquentar, mas devido à altitude é necessário tomar precauções contra queimaduras solares. As nuvens podem ser limpas no meio da tarde e você pode obter boas vistas da sela e de Mawenzi. O jantar será servido por volta das 17:00 e devido ao clima e fadiga, consistirá principalmente de sopa e arroz. Ao chegar na cabana, é recomendável ficar nela (nos sacos de dormir) até a hora do café / chá, pois faz muito frio lá fora.

 

Vestuário + outras informações:

Calças compridas, com suéteres ou jaquetas quentes na estrada e roupas de alta montanha à noite.

Temperaturas:

 Está acima de 9 graus Celsius e pode descer a 0 graus durante a noite.

 

5° Dia Subida final Uhuru (5.895m)

Acordaremos às 00:00 para tomar chá ou café e a partir de agora a escalada começará. O início da subida é normalmente depois da meia-noite às 02:00 horas, o mais tardar. A subida a Gillman Point é o trecho mais íngreme (veja detalhes no fase 1). De Gillman, a jornada continua pela borda da cratera com neve até o pico de Uhuru (5895m ou 19.340 pés), o ponto mais alto da África (veja detalhes no fase 2). A partir de agora, é a descida da cabana de Horombo para passar a noite (veja detalhes nos fases 3 e 4).

FASE 2: Subida ao ponto UHURU a 5895 m

(Tempo estimado: 1,5 a 2 horas para uma distância de 2 km)

A estrada para o pico de Uhuru, que fica a uma altitude de 5895m, segue a borda da cratera. Isso implica uma subida difícil por algumas rochas, mas provavelmente por muito pouca neve. A cratera Reusch e o poço central de Ash ("Ash Pit") não são visíveis do ponto de Gilman, mas há boas vistas das montanhas cobertas de neve na geleira Rebmann. Pode ser temperado nas rochas ao nascer do sol, mas também pode fazer vento em algumas épocas do ano.

FASE 3: A descida para a cabana de Kibo,

(Caminhada de 3 Km. Em 3 horas e descendo 990m.)

Após a chegada na cabana de Kibo, você receberá uma refeição leve e após um breve intervalo, a descida para a cabana de Horombo começa. Existem várias formações rochosas interessantes nesta parte da rota, a lava vulcânica mais cristalizada.

FASE 4: A descida para a cabana do HOROMBO,

(Caminhada de 13 km em cerca de 3 horas, descendo 1030 m.)

Deixamos a cabana de Kibo às 10h30 para continuar a descida, em um ritmo constante em direção à planície (sela), onde teremos que seguir a estrada principal para a cabana de Horombo. À medida que o sol nasce, é necessário um chapéu para fornecer sombra para os olhos. Na maior parte do caminho, as nuvens são muito baixas e as vistas da parte mais alta da montanha são indescritíveis, uma enorme diferença com a subida. Essa parte da descida é comparativamente mais simples, mas por causa do calor e da altitude, é necessário beber muita água. É aconselhável encher a sua garrafa de água sobressalente que os guias carregam antes de sair da cabana do Kibo. O almoço é servido à chegada à cabana Horombo.

 

Jantar e acomodação na cabana do Horombo (3720m ou 12.000 pés)

 

Vestuário + outras informações:

Calças compridas com um suéter quente ou uma jaqueta para proteger do vento ..

Temperaturas:

Dependendo da estação, podem ser inferiores a -30º C.

 

6° Dia Descida ao Hotel-Base

 (Caminhada de 18 km em cerca de 6 horas e descida de 1890m.)

Após o café da manhã às 06h30, começará a descida para o Portão de Marangu, onde nos encontraremos para transferir para o Park View Inn em Moshi.

Durante a descida, pode estar um pouco quente, desde que as nuvens estejam abaixo de você. A 3000m entraremos no ponto mais alto das nuvens e a partir daqui o tempo pode estar nublado e úmido. A lama na estrada e as raízes das árvores tornam a descida pela floresta um pouco cansada. Você chegará à cabana de Mandara ao meio-dia e, depois do almoço, continuaremos descendo pela floresta tropical. Neste momento, é mais fácil atravessar as raízes das árvores e evitar a lama. Enquanto desce, a estrada é mais seca. Chegaremos a Marangu por volta das 14h00min e depois de obter o certificado, nós o levaremos ao hotel base.

Teremos a tarde livre - talvez para descansar da subida.

Jantar e pernoite no Park View Inn.

 

Vestuário + Outras Informações:

Roupas quentes de manhã (a temperatura pode chegar a 7 graus Celsius) e roupas leves para o final, caso esteja ensolarado. Recomendamos que você use shorts por baixo das calças, camiseta, suéter / jaqueta quentes - você pode tirá-los quando ficar mais quente.

 

7° Dia Moshi/Marangu - Arusha

Café da manhã no hotel. Pela manhã, traslado a Arusha até um hotel (uso diário do quarto e almoço excluído) ou ao aeroporto de Kilimanjaro para embarque ao país de origem ou extensões.

Hotéis  e alojamentos previstos ou similares**

Cidade

Hotel

Noites

Regime

Tipo de Apto

Moshi

Park View Inn (Turística)

02

Meia Pensão

Standard

Montanha

Cabanas

04

Pensão completa

Cabanas

**Hotéis sujeitos a alterações de acordo com a disponibilidade. Serão sempre mantidas a qualidade e localização.

 

Valores por Pessoa em Dólares Americanos (Parte Terrestre)*

Validade

Single***

Duplo

02/09/2019 a 31/12/2020

2979

2477

 

Valores por Pessoa em Dólares Americanos (Parte Terrestre)*

Noite Adicional na Montanha Cabana Horombo

392

 

***Importante: saídas do programa com mínimo de 2 passageiros. Consulte-nos no ato da reserva.

**Hotéis sujeitos a alterações de acordo com a disponibilidade. Serão sempre mantidas a qualidade e localização.

*Valores sujeitos a disponibilidade no ato da reserva e alterações sem aviso prévio.

Tabela para uso como referência.

Documentação Obrigatória para Embarque:

- Para passageiros brasileiros (África do Sul): Passaporte (com validade mínima de 6 meses e com, no mínimo, duas páginas em branco).

- Para passageiros brasileiros (Tanzânia): Passaporte (com validade mínima de 6 meses e duas páginas em branco) e Visto Consular

(pode ser obtido online: https://eservices.immigration.go.tz/visa# ) ou na chegada, porém recomendamos que o passageiro já viaje com o visto emitido desde o Brasil.

- Para passageiros estrangeiros: Passaporte e RNE originais. É de inteira responsabilidade dos passageiros checar com o consulado se o país de destino exige visto de sua nacionalidade.

- Obrigatória a apresentação da Carteira Internacional de Vacinação contra Febre Amarela (tirada pelo menos 10 dias antes da data do embarque). Passageiros isentos da vacina deverão apresentar o Certificado de Isenção de Vacinação emitido pela ANVISA.

- Passageiros devem tomar a dose PADRÃO da vacina. Não será emitido Certificado Internacional de Vacinação, em hipótese alguma, para quem apresentar comprovante de vacinação com etiqueta referente a dose fracionada.

Documentação Obrigatória para brasileiros viajarem a Tanzânia (por conta do passageiro):

- Desde 14 de agosto de 2019, o Aeroporto Internacional de Kilimanjaro mudou sua maneira de lidar com o visto na chegada de estrangeiros ao país. Antes o mesmo poderia ser facilmente obtido na chegada ao aeroporto, porém, desde esta data, os procedimentos para obtenção de visto estão mais demorados e seguem os seguintes passos:

1º - Você obtém o número de controle do Departamento de Imigração

2º - Após obter o número de controle, o solicitante deve pagar em dinheiro a taxa de visto na conta bancária do Tesoureiro (governo)

 Leve o boleto bancário ao oficial de imigração para emitir o visto com recibo

 Após a obtenção do visto, você deve proceder para obter impressões digitais

4º Finalmente, a imigração verifica o visto

 

Por isso recomendamos que solicitem o visto da Tanzânia online no site: https://eservices.immigration.go.tz/visa . O processo online solicita mais informações sobre o visto concedido, e é emitido em 2 ou 3 semanas. Estas mudanças para obtenção de visto em Kilimanjaro podem levar mais de duas horas para sua obtenção na chegada.

Além disso, favor atentar que apenas de 5 pontos de entrada atualmente aceitam os eVisas, são eles:

Aeroporto Internacional Julius Nyerere (DAR)

Aeroporto Internacional do Kilimanjaro (JRO)

Aeroporto Internacional Abeid Amani Karume (ZNZ)

Namanga (fronteira entre Arusha e Nairobi)

Tunduma (fronteira entre Tanzânia e Zâmbia)

 

 

Menores de idade viajando para África do Sul acompanhados dos pais ou desacompanhados:

- Menor viajando com ambos os pais: deverão estar em posse de seu passaporte.

- Menor viajando com apenas um de seus pais: além do passaporte e da certidão de nascimento (original), deverão apresentar também uma autorização de viagem (original) emitida há menos de 6 meses, com firma reconhecida e a cópia autenticada do RG do pai/mãe que está concedendo a autorização.

- Menor desacompanhado: deve apresentar passaporte e certidão de nascimento, autorização de viagem de ambos os pais, emitida há menos de 6 meses e com firma reconhecida, juntamente com a cópia autenticada do RG de ambos os pais, e uma carta contendo informações gerais do responsável que irá receber o menor na África do Sul e a cópia autenticada do ID deste.

- Importante: a autorização de viagem para menor viajando com somente um dos pais ou desacompanhado deve ser bilíngue (inglês e português) e emitida em 3 vias, pois uma será retida pela Polícia Federal na saída do Brasil e a outra deverá ser apresentada na imigração no destino.

 

- Consulte as regras vigentes no momento da viagem, pois podem sofrer alterações.

- A documentação para embarque é de exclusiva responsabilidade do passageiro.

 

Observações Importantes Sobre o Pacote e o Destino:

- Para efetuar a reserva e emissão do seguro viagem, solicitamos o envio imediato dos seguintes dados: Nomes completos; datas de nascimento; número e validade do passaporte de cada passageiro; número do CPF de cada passageiro; nacionalidade e telefone de emergência (celular).

- Roteiro baseado em serviços regulares (compartidos), que poderão sofrer alterações de datas e logística se necessário, para melhor aproveitamento, caso o receptivo julgue necessário.

- O documento informado para solicitação da reserva e emissão passagens deve ser o mesmo apresentado para embarque e utilização dos serviços. Diferenças na documentação podem ocasionar transtornos e prejuízos e que serão de inteira responsabilidade do passageiro.

- Obrigatório o envio dos dados completos dos voos caso sejam emitidos por conta dos passageiros (Código localizador, cia aérea, número do voo, data, horários de saída e de chegada), para agendamento dos traslados.

- Importante: proposta sujeita a disponibilidade e a alterações de preços e condições de pagamento até a efetiva confirmação da reserva.

- O circuito tem saídas garantidas com mínimo de 2 passageiros. Para reservas com apenas 1 passageiro, consulte-nos previamente.

- É permitida 1 mala (soft bags) de até 15kg por pessoa.

- Crianças com menos de 6 anos NÃO são permitidas nos safáris fotográficos regulares, consulte-nos para safáris privativos.

- Os países Quênia e Tanzânia só aceitam Dólares Americanos emitidos a partir de 2001. Não são aceitas notas antigas.

- Para passageiros em Lua de Mel serão solicitados amenities especiais, se informado com mínimo de 20 dias de antecedência.

- IMPORTANTE: A taxa IRRF referente às transações internacionais NÃO está incluída nos valores descritos no site e nos roteiros. A mesma não é isenta. Consulte o valor de acordo com o destino escolhido.

- Os valores apresentados são especiais para brasileiros. Consulte-nos para tarifas diferenciadas no caso de passageiros estrangeiros.

 

Novas regras para bagagem despachada no Aeroporto Internacional OR Tambo (ORTIA) em Johanesburg

- Somente bagagens de formato regular poderão ser despachadas, isso significa que as sacolas devem ter pelo menos uma superfície plana para serem aceitas;

- Sacos redondos ou irregulares não serão permitidos;

- Sacos com tiras longas não serão permitidos;

- Os passageiros que tentarem despachar bagagens que não estejam em conformidade com essas regras terão a opção de empacotar suas malas nas estações de embrulho aprovadas pelo aeroporto.

Formas de Pagamento - Parte Terrestre:

- Em até 10 vezes, sendo: 30% de entrada + taxas de embarque (à vista), e saldo em 9 vezes sem juros em cheques ou cartão de crédito (Visa, Mastercard ou Diners). Cartão Amex 30% de entrada + taxas de embarque (à vista), e saldo em 3 vezes.

- Parcela mínima R$ 500,00.

- À vista (depósito) desconto de 5%.

- A cotação do dólar será atualizada ao dia do pagamento do pacote de viagem.

 

Pagamentos feitos há menos de 60 dias do embarque:

- Em até 6 vezes, sendo: 30% de entrada + taxas de embarque (à vista), e saldo em 5 vezes sem juros em cheques ou cartão de crédito (Visa, Mastercard ou Diners). Cartão Amex 30% de entrada + taxas de embarque (à vista), e saldo em 3 vezes.

 

Formas de Pagamento - Parte Aérea:          

- Consulte-nos sobre condições das cias. aéreas.

 

Políticas de Alterações e Cancelamentos:   

Caso o passageiro deseje alterar ou cancelar uma reserva, serão cobrados:

- A qualquer momento: Taxa administrativa - 5%.

- Parte terrestre: Cancelamento até 60 dias antes do embarque - 20%.

- Parte terrestre: Cancelamento de 59 a 30 dias antes do embarque - 40%.

- Parte terrestre: Cancelamento de 29 a 15 dias antes do embarque - 60%.

- Parte terrestre: Cancelamento com menos de 15 dias do embarque - 100% do total.

- Parte aérea: Qualquer penalidade que seja cobrada pelas cias aéreas.

- Importante: No caso da hotelaria, cada hotel pode aplicar suas próprias políticas, podendo variar principalmente em feriados.

 

Sobre a subida ao Monte Kilimanjaro:

 

Distâncias

- Da cidade de Arusha para Moshi são 80 km. (uma hora por estrada)

- Da cidade de Arusha para Marangu são 120 km. (uma hora e meia por estrada)

- Do aeroporto de Kilimanjaro para Moshi, a 35 km. (meia hora por estrada)

- Do aeroporto de Kilimanjaro para Marangu são 85 km. (uma hora por estrada)

 

Estações e condições climáticas

O melhor momento para fazer a subida é na estação seca. A Tanzânia e a África Oriental, em geral, têm duas estações chuvosas, as chuvas longas, do final de março a junho, e as chuvas curtas, que normalmente ocorrem entre outubro e novembro.

As condições naturais nas encostas podem torná-las muito escorregadias devido à chuva e neve, que pode ser um problema em algumas das rotas para o topo. Os meses da estação seca de junho a setembro e de dezembro a fevereiro são normalmente considerados os melhores meses para a subida.

 

Temperaturas

A altitude normalmente afeta as temperaturas à medida que se avança na subida, especialmente considerando que a montanha fica a apenas 3 graus ao sul do Equador.

As temperaturas durante o dia nas áreas mais baixas da montanha são geralmente amenas e até quentes, embora possa sempre haver uma breve chuva durante a tarde. À medida que o sol se põe, a temperatura começa a cair, assim como à medida que a subida progride. Nas áreas mais altas da montanha as temperaturas são muito baixas. Roupas quentes e saco de dormir são essenciais para essas condições climáticas.

 

Altitude

Embora milhares de trekkers alcancem com sucesso o Pico Uhuru todos os anos sem nenhuma dificuldade aparente, outros não conseguem chegar ao topo devido à chamada "doença da altitude", causada pela combinação do declínio na pressão atmosférica e na diminuição do oxigênio contido no ar. Para evitar esse problema, é muito importante aclimatar gradualmente a subida, pois, mesmo estando em forma, você pode não conseguir escalar o Monte Kilimanjaro.

 

Guias e carregadores

Os Guias e Carregadores são todos homens entre 20 e 40 anos. Eles são contratados diretamente pelos Hotéis exclusivamente para realizar estes trabalhos e devem ser registrados oficialmente pelas Autoridades do Parque, que realizam periodicamente exames médicos. Os Guias trabalham em equipe durante todo o ano, ajudando os carregadores, conforme necessário. Cada carregador pode transportar de 10 a 20 kg, geralmente nas costas ou na cabeça.

 

Aspectos físicos e mentais

Os abrigos são dispostos de forma que a subida de cada dia seja mais difícil que a do dia anterior, mesmo sem considerar o ar menos denso. Como resultado, a pessoa se sente cada vez mais cansada ao final de cada jornada, mas sem perder a confiança em atingir a meta. Para incentivar, há cartazes nos abrigos e nas áreas mais altas da subida. Apesar das dificuldades em dormir à noite e da rigidez e dor a que estão sujeitos, espera-se que tenha força e energia suficientes para atingir a meta do dia seguinte. O otimismo pode desaparecer durante o terceiro dia, porque a última parte da subida é realmente difícil, mas, a menos que alguma doença atrapalhe, eles sentirão que, nesse ponto da subida, não terão nada a perder ao tentar a subida final até o topo

Os guias e carregadores subirão separadamente por boa parte dos 3 primeiros dias. Eles ascendem sem descansar por longos períodos, mas descansam por cerca de 20 minutos nos "pontos intermediários". Como geralmente acontece em subidas, a atitude mental é tão importante quanto o estado físico. Tanto para a subida quanto para a descida, caminhar parece muito mais fácil quando está ensolarado do que quando está com mau tempo. No entanto, o céu estará nublado grande parte durante os primeiros dois dias.

 

Conclusão

A subida ao Monte Kilimanjaro é difícil, mas interessante, e vale a pena fazê-lo uma vez na vida, se possível, antes de atingir 50 anos. Embora seja possível planejar a viagem antes de chegar ao destino, não é possível prever o clima na época da subida. É uma boa ideia trazer bons livros para ler durante a tarde, além de boas câmeras e bons binóculos. A bagagem extra pode ser deixada no hotel-base. A viagem será muito mais fácil e divertida, se você esquecer as pequenas dificuldades e viver um dia de cada vez.

 

Informações Gerais sobre o Trekking

 

Bagagem

É permitido no máximo 15 quilos para fazer a subida na montanha. Tudo deve caber em uma mochila ou soft bag que será transportada dentro de uma bolsa impermeável por um carregador. Cada pessoa, leva consigo apenas uma mochila leve durante o dia. Qualquer bagagem desnecessária pode ser armazenada com segurança no hotel-base.

 

Comida e bebida

A alimentação é preparada cuidadosamente com ingredientes fáceis de digerir em altitude e com alto teor de energia. Também é oferecida comida para vegetarianos.

Alimentos frescos serão fornecidos para grupos de 8 ou mais passageiros durante a escalada de 6 ou 7 dias até o Kilimanjaro. Estes são sempre levados para o grupo no dia anterior e incluem pão fresco, uma seleção de frutas e legumes, queijo e carne.

Em altitudes mais altas, estimulantes (como café) e alimentos menos digestivos (como carne) estão quase completamente ausentes da dieta. O jantar no topo do Kilimanjaro será uma combinação de sopa e ensopado, pois a experiência mostra que é a melhor preparação para o dia no cume.

É oferecida água fervida todas as tardes para encher as garrafas de água e também está disponível durante as refeições. Há também uma grande variedade de bebidas quentes disponíveis durante as refeições, e a sopa é servida duas vezes por dia. Refrigerantes e cerveja são servidos apenas na rota Coca-Cola.

 

Café da manhã

- Ovos com bacon e tomate / pepino

- Muesli e / ou cereais

- Frutas da estação (manga, banana, melão)

- Torrada com manteiga, geléia e mel.

- Chá, café ou chocolate.

 

Lanches

Lanches energéticos são fornecidos diariamente para caminhadas como biscoitos, bananas e barras de chocolate

 

Almoço

O almoço consiste em um piquenique em dias longos ou, geralmente, um almoço quente servido em um pequeno acampamento organizado pela equipe, que estará à frente dos clientes.

 

Os almoços-piquenique consistem em:

- Sanduíches com queijo ou carne.

- Frutas frescas, ovos e bolo.

- Sopa quente e chá durante as caminhadas.

 

Almoços quentes consistem em:

- Sopas (frango / vegetais diferentes)

- Pão (às vezes torrado) ou panquecas

- Queijo, conservas de peixe e manteiga de amendoim.

- Salada (tomate, pepino, cenoura, cebola)

- Bebidas quentes variadas

 

Chá

No final da tarde, são servidas bebidas quentes e outras coisas não servidas no almoço, como biscoitos e amendoins / pipoca.

 

Jantar

É a refeição principal do dia e sempre consiste em três pratos (sopa seguida de um prato principal de vários ingredientes e para finalizar a sobremesa).

 

- Sopa (frango / carne / legumes)

- Frango / vitela / peixe. Pode ser assado ou preparado em molho.

- Legumes frescos, como cenoura, feijão, ervilha, couve-flor, pimentão, tomate. Servido frequentemente com um molho delicioso.

- Variedade de carboidratos, como batatas, arroz ou macarrão.

- Salada de frutas ou crepes e biscoitos e mais bebidas quentes

 

Higiene

Sempre haverá um balde de água quente pela manhã e outro após a caminhada da tarde. A única exceção é a noite no ponto mais alto do Kilimanjaro (campos de Kibo ou Barafu ou Rice), onde não há água corrente e os carregadores devem trazê-la dos níveis mais baixos. A água para lavar é tratada com Dettol e está disponível juntamente com sabão antes de todas as refeições, e é recomendado a todos que a usem. Os banheiros estão disponíveis na maioria dos parques de camping e cabanas usadas para subida.

 

Camping

São oferecidas tendas para duas pessoas, fabricadas na Alemanha, EUA, Canadá e projetadas especificamente para o uso em montanhas. Há muito espaço para uso pessoal, um grande armazenamento de bagagem e um toldo externo separado. Um número limitado dessas tendas pode ser oferecida como individuais, com um custo adicional que deve ser reservado com antecedência. Os passageiros devem levar seu próprio saco de dormir.

O café da manhã e o jantar são servidos em uma tenda comum com cadeiras, mesas e luminárias. Esta tenda também está disponível para uso comum à tarde e à noite. É útil também contra intempéries.

 

A aclimatação na montanha

É possível que sinta algum desconforto em algum ponto alto da montanha. O que detalhamos abaixo é baseado na experiência prática e não em explicações médicas. O mal da altitude é causado pela lenta aclimatação do corpo ao nível reduzido de oxigênio no ar devido ao aumento da altitude. Existem muitos sintomas, mas os mais comuns são dores de cabeça, tontura, náusea, perda de apetite, tremor e leve inchaço da face / tornozelos / dedos.

Muitos desses sintomas não são graves e geralmente desaparecem após 48 horas. A origem pode ser devido à má circulação ou à saída de líquidos do corpo.

Casos graves de doença de altitude só podem ser tratados com a descida imediata. Nossos guias locais têm toda a experiência para lidar com os problemas da doença da altitude. Pode ser necessário descer para uma altitude mais baixa ou até abandonar o trekking por segurança. A decisão do guia sênior em tais situações é final.

 

Bebidas

Recomendamos que beba 4 a 5 litros por dia. O líquido melhora a circulação e a maioria das funções corporais.

 

Caminhar devagar

É vital dar pouca tensão ao corpo enquanto se adapta à nova quantidade de oxigênio. A menos que esteja em uma seção ascendente muito íngreme, sua frequência respiratória durante a caminhada deve ser como se você estivesse andando por uma rua do seu país.

 

Subir durante o dia para dormir abaixo

Significa que você deve aproveitar a oportunidade para fazer excursões à tarde para um nível mais alto antes de descer para dormir.

 

Condições da subida

A maioria das trilhas utilizadas na subida à montanha é bem definida e de boa qualidade, mas existem algumas áreas de floresta que costumam ser escorregadias e as estradas podem estar molhadas. Os caminhos para se chegar ao cume dos Monte Quênia, Monte Meru e Kilimanjaro são praticamente formados por estradas de cascalho, mas nenhuma habilidade técnica é necessária. A neve é permanente no cume do Kilimanjaro e sazonal nas outras montanhas, mas nenhum equipamento especial para caminhar na neve é necessário.

Essas montanhas são grandes vulcões que se elevam acima das planícies circundantes. Todos os trekkings, portanto, exigem uma quantidade de subida que é suavizada com os dias de aclimatação. Esteja preparado para a subida e descida!

 

Vestuário

Em todas as subidas de montanha, há várias mudanças de temperatura; portanto, as melhores roupas que você pode usar são muitas camadas finas. O que ajudará a ajustar a diferentes temperaturas.

 

Equipamento necessário

- Saco de dormir para 4 estações (especialmente nas áreas superiores do Kilimanjaro, onde a temperatura pode estar abaixo de zero)

- Mochila com capacidade para 30 a 40 litros (para garantir o transporte de roupas e equipamentos).

- Mochila ou soft bag para que os carregadores possam carregá-la durante a subida

- Sacos plásticos de vários tamanhos para proteger o equipamento que você deseja que esteja seco (como saco de dormir e livros)

- Os tapetes de acampamento não são necessários nas cabanas, podem ser de espuma ou, alternativamente, pode ser um colchão inflável (com seu kit de reparo)

-  Bastão de gelo de cabo longo.

- Um Poncho e capa de chuva

 

Bebida

- Equipamento para purificar água (pastilhas de água, filtro). Água potável fervida será fornecida, mas você pode usar iodo ou cloro para purificação adicional. Traga o suco em pó para remover o mau gosto se você tiver usado produtos químicos! As bombas de filtragem são excelentes, mas muito caras.

- 2 cantinas ou o equivalente para 1 litro de água.

 

Calçados

- Botas de montanha que você já tenha usado e verificado sua qualidade (recomendamos couro)

- Meias grossas e para usar sob as grossas (isso geralmente ajuda a evitar bolhas)

- Sapatos ou sandálias de montanha para usar no acampamento.

- As polainas podem ser muito úteis em condições de chuvas e para impedir que pedras entrem em suas botas.

 

Roupa interior

- Camisetas. A menos que seja sintético, porque o algodão seca mal e não fornece um bom isolamento.

- Abrigos e segunda pele

- Bermudas

- Calças (soltas e confortáveis). Um par deve ser grosso e quente.

 

Vestuário geral

Você precisará de no mínimo 3 camadas de casaco durante a tarde e durante os dias da subida no cume. Existem várias combinações de roupas quentes com desenvolvimentos recentes, mas recomendamos uma jaqueta nórdica.

- Casaco nórdico 4 estações (importante para o Kilimanjaro).

- Capa de chuva com capuz.

- Jaqueta e calça impermeáveis. Eles podem ser shorts, mas devem ser à prova d'água, mesmo na estação seca.

- 2 pares de luvas / luvas (1 fina e 1 grossa).

- 1 suéter para vestir sob a jaqueta ou o nórdico, se necessário.

 

Rosto e cabeça

- Balaclava (é uma touca que cobre toda a cabeça e o pescoço, deixando somente os olhos (e às vezes boca) visíveis. Esse tipo de touca é popularmente conhecido como touca ninja)

- Chapéu de sol.

- Óculos de sol (importante para o dia de subida ao cume para evitar cegueira causada pelo reflexo da neve)

- Protetor solar com alto fator UVA e UVB. O sol equatorial combinado com a altitude é uma combinação muito perigosa, mesmo se você estiver acostumado ao sol.

- Bálsamo labial, de preferência contendo filtro solar.

 

Uso pessoal

- Kit de higiene pessoal e toalha e produtos

- Papel higiênico.

- Lanches favoritos. Lanches serão fornecidos durante as caminhadas, mas você pode levar alguns especiais que deseja comer. Especialmente para o dia da cúpula.

- Lanterna. Para utilizar nos campings e muito necessário no dia do cume. Lembre-se de levar baterias extras.

- Câmera fotográfica e cartões de memória.

- Faca de camp (é sempre prático carregá-la).

- Material de leitura e jogos / cartas.

- Bastão para caminhar


Equipe Médica

Serão proporcionados kits médicos com instruções em todas as subidas. Os guias locais possuem conhecimentos de primeiros-socorros.  Uma atenção especial é dada para evitar o mal de altitude, maximizando a aclimatação. Não são fornecidos cilindros de oxigênio.

 

Primeiros Socorros

Recomendamos que traga sua própria farmacinhapara as necessidades mais básicas.

- Aspirinas para dores de cabeça e sintomas leves de dor. A aspirina é particularmente boa nas montanhas porque se dilui no sangue, o que contribui para a aclimatação da altitude

- Kit para bolhas e fita adesiva.

- Remédios para diarreia grave.

- Comprimidos para malária. É claro que a malária não é endêmica nas montanhas, mas todas as viagens começam e terminam nas áreas de malária.

- Joelheiras, se você tiver algum tipo de problema com os joelhos; as encostas são íngremes.

- Medicamentos de uso contínuo e pessoal.

 

Gorjetas

Embora as gorjetas sejam opcionais e dependam da satisfação, a gorjeta é comum no Quênia e na Tanzânia. Os valores sugeridos variam de US$ 5 a US$ 10 por dia na montanha.

Os presentes são muito apreciados, mas são vistos como substitutos das gorjetas e, na maioria das vezes, são vendidos. Se você quiser dar algo aos carregadores, recomendamos roupas quentes, camisas e sapatos.

Você também pode trazer canetas (melhores do que doces) para as crianças que encontrar ao pé da montanha.